O senador João Capiberibe (PSB-AP), articulador da emenda das diretas presidenciais 20016, está convencido de que o país, tão logo passe o impeachment, vai se levantar em favor da escolha imediata de um presidente eleito pelo povo.
Capiberibe, velho ativista, ex-guerrilheiro, torturado e fugitivo da ditadura de 64 e exilado por dez anos entre A Bolívia, Chile, Canadá e Moçambique, exibe impressionante bom senso, apesar de seu histórico conturbado.
Nesta entrevista a FC Leite Filho, da TV Cidade Livre de Brasília e do blog Café na Política (transmitida para os seus canais do Youtube, Facebook, Twitter e Google Plus, ele sustenta que o vice Michel Temer não vai se sustentar, por carecer de legitimidade e credibilidade para o cargo de Presidente, não ter voto e estar como quase todo o PMDB, seu partido, “envolvido até o pescoço nesta crise”.
Com estas credenciais, Temer, na visão do senador amapaense, jamais reunirá as condições necessárias para formar um governo de união e de salvação nacional capaz de romper o impasse trazido com a crise do impeachment.
Os três primeiros meses do atual Vice, para Capiberibe, vão aguçar ainda mais o panorama. É que, no seu entender, a crise é principalmente política, porque os políticos não souberam dar o devido encaminhamento à crise econômica. E esta, por isso mesmo, tende a exacerbar-se diante de um governo incapaz de administrá-la.
– É aí, diz ele, quando o povo vai bater à nossa porta, exigindo eleição direta… Hoje é três de maio (dia da gravação desta entrevista), desafia. Daqui a dois ou três meses, me procure para conversar sobre o Temer, porque o Brasil estará mergulhado numa situação muito pior do que está hoje.

DEIXE UMA RESPOSTA